MACUNAÍMA, FILME COMPLETA 50 ANOS

pixlr

“Ai, que preguiça!”. (Macunaíma, de Joaquim Pedro de Andrade, 1969)

Baseado no livro de Mário de Andrade, expressa bem o que foi o movimento tropicalista (1967/1968) de que é contemporâneo, para além do folclore brasileiro.

No meio do mato dentro de uma choça, uma mãe de aspecto grotesco, aos berros, ela acaba parindo em pé, e de pernas abertas. Naquele instante nasce Macunaíma, feito pelo excepcional Grande Otelo, um parto considerado desrespeitoso pela instituição sacra.

Marca ali o herói sem caráter, a indolência e o oportunismo do povo brasileiro, características ligadas a crendice popular.

Neste ano o filme dirigido por Joaquim Pedro de Andrade completa 50 anos de lançamento.